Sindicom Facebook Twitter YouTube

Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás

Arquivos por tag: carreira

Como alcançar suas metas em 2017

Por Marcelo de Elias

O ano de 2016 foi difícil para a maioria dos brasileiros. Sabemos que 2017 também será um ano de bastante trabalho para superar os desafios. Para alcançar os principais objetivos, por que não aproveitar este momento para planejar nossas ações? E para realizar seus projetos pessoais e profissionais em 2017, é importante seguir os 10 passos abaixo:

1. TENHA UM PROPÓSITO

Tudo começa com a definição clara do "por que" queremos realizar aquilo que desejamos. Escute sua voz interior e pense naquilo que realmente tem sentido para você e que contribui com a prática de seus valores. Visualize-se mentalmente alcançando seus objetivos. Isso ajuda muito!

2. ACREDITE

Acredite em seu potencial para realizar seus objetivos. Para isso, esqueça um pouco o passado e principalmente algumas crenças limitadoras que podem bloquear sua ação.

3. PESQUISE

Seja curioso e dedique tempo investigando mais sobre o assunto e sobre pessoas que realizaram os mesmos objetivos. Inspirar-se em bons exemplos pode contribuir bastante. Estude mais sobre os desafios, problemas e possíveis soluções, além de estudar mais sobre você mesmo, suas potencialidades e fraquezas. Capacite-se.

4. DEFINA AS METAS

Escreva suas metas de maneira bem específica e defina prazos para realizá-las. Sintetize-as para não perder o foco. Ter 3 metas é mais fácil de realizar do que ter 10. Depois, quebre-as em metas menores para facilitar o acompanhamento. Escreva "vou guardar 50 reais por semana" em vez de "Vou guardar dinheiro para trocar de carro no final do ano".

5. PLANEJE SEU TEMPO

Organize-se para executar com excelência tudo aquilo que definiu. Para isso, defina as prioridades e tenha disciplina para não deixar as urgências afastarem você das coisas importantes. Seja realista e íntegro com seus propósitos.

6. AJA

Tenha iniciativa e coloque tudo em prática. Agora é a hora de começar a atuar em seu plano de ação. Caso algumas pessoas se posicionem como um impedimento, evite-as. As relações de apoio são essenciais nesta fase.

7. ENFRENTE OS DESAFIOS

Encare o medo com paciência e persistência. Busque ajuda com pessoas de valores e propósitos iguais aos seus e crie parcerias importantes. Coletivamente fica mais fácil de realizar os objetivos!

8. PERSISTA

Não se martirize por causa de alguma falha. Para manter-se firme na jornada, não perca o foco, mesmo que sofra um deslize. Se você escorregar, retorne imediatamente ao seu plano de ação. Se a sua motivação estiver vacilando, persista ainda assim. Visualize o seu futuro bem-sucedido e acredite!

9. ACOMPANHE

Defina indicadores para ter evidências de que está no caminho certo e acompanhe periodicamente. Assim, se algo sair fora do previsto, é mais fácil voltar para o rumo correto. Seja flexível se concluir que foi exigente demais consigo mesmo mas não afrouxe demais só para facilitar a realização.

10. COMEMORE

Não esqueça de celebrar as conquistas! Isso vai te dar mais força para os próximos desafios e objetivos. A recompensa é um grande impulsionador. Presenteie-se com algo especial, como uma pequena viagem, ao conseguir superar uma etapa. Celebre todos os sucessos.

Retenção de talentos: como motivar a geração Y nas empresas?

Retenção de talentos - Nas últimas décadas, têm-se tornado crescente a rotatividade do capital humano das empresas, principalmente entre os colaboradores que encontram-se na faixa de 20 e 30 anos - a chamada Geração Y.

Paralelamente, a retenção de talentos tornou-se um dos grandes desafios para  o departamento de RH. É usual encontrar diretores e gestores nascidos antes e fora dessa geração, totalmente perplexos com os novos comportamentos e totalmente perdidos em relação às suas expectativas profissionais.

Os representantes da Geração Y são bem íntimos de tecnologias, gostam de interação em grupo, criam e desmancham laços com extrema facilidade. São mais arrojados, menos apreensivos com os desafios propostos, mais corajosos e não têm medo de mudanças. Também são hedonistas, ou seja, querem uma satisfação rápida e uma promoção em curto prazo.

É uma geração exigente e que não se satisfaz com pouco. A situação atual é que as empresas estão ficando obsoletas, mantendo as mesmas diretrizes e processos internos, o que leva a um índice alto de turnover e desistência. Isso, consequentemente, implica em prejuízos em diversas esferas. E mais ainda, pois não se adaptar à Geração Y é ficar para trás. Afinal, eles são a principal fonte da força de trabalho atual.

Nesse post, vamos mostrar como reter talentos na sua empresa e diminuir consideravelmente os índices de turnover. Confira:

Como a retenção de talentos pode ajudar a minha empresa?

Para garantir a retenção de talentos na sua empresa e alcançar resultados melhores, o caminho é a reavaliação no papel dos gestores. É necessário oferecer a esses jovens a possibilidade de receber "mentorias", um ajuda genuína e inspiradora dos líderes imediatos.

Retirando-se os bloqueios e os controles, os gestores promovem o amadurecimento das suas equipes jovens e promovem com mais intensidade todas as competências que permitam a formação de novos líderes.

Abaixo, elencamos o que a Geração Y busca nas empresas.

Voz

Os jovens de hoje querem ser ouvidos, buscam um ambiente de trabalho justo onde suas ideias e opiniões sejam ouvidas.

Significado

Fazer parte de algo que traga mudanças na sociedade, no ambiente e nas pessoas.  79,7% dos jovens se consideram idealistas, sonham com um mundo mais justos e 69,5% se consideram engajados em questões de ordem social. Por isso, hoje em dia, se importam com outras coisas do que os resultados financeiros da empresa. Querem responsabilidade social e ambiental.

Flexibilidade

Já que são muito ligados a tecnologias, os jovens sentem a necessidade de estar conectados em qualquer hora e em qualquer lugar. Ou seja, querem ser laureados com a possibilidade de ter uma flexibilidade de horário para equilibrar sua vida pessoal e profissional. Esses profissionais irão se dedicar a empresas, mas, ao mesmo tempo, também querem manter  a qualidade de vida.

Possibilidade de crescimento rápido

De acordo com a Rainmaker Thinking, 56% dos profissionais querem ser promovidos no período de um ano. Isso mostra que a geração Y é dinâmica, ávida e quer testar bem de perto todos os seus limites. Por isso, as empresas precisam mostrar aos jovens quais são os passos necessários para ser promovido - além de evidenciar que existe uma possibilidade realmente real de chegar lá.

Essas são algumas das características da Geração Y e o que valorizam dentro de uma empresa. Ao pensar nesses conceitos, os líderes atuais vão não  apenas atrair jovens talentos como conseguirão retê-los por mais tempo.

Fonte: blog vb

 

Trabalhar a retenção de talentos é fundamental para o desempenho da sua empresa

Retenção de talentos

Retenção de talentos - Já falamos aqui sobre o grande desafio que é montar uma boa equipe - somar competências, formações e habilidades para criar um time pronto para tocar as demandas do dia a dia da sua empresa. Mas o desafio não para por aí, pois, uma vez que sua equipe dos sonhos está montada, é hora de trabalhar (muito bem) a retenção de talentos. Afinal, você não quer ter que começar a montar um belo time do zero toda vez que um funcionário seu receber uma proposta melhor de trabalho, certo? A retenção de talentos é fundamental para qualquer empresa. Pensando que os funcionários são o ativo central, pois sem eles nada acontece, podemos mensurar a importância de conquistar e engajar essas pessoas para que elas queiram trabalhar com você, e não estejam ali apenas por falta de uma opção melhor.

Bom, mas num cenário atual de crise e desemprego crescente, você pode até pensar: "Ninguém está contratando, não preciso me preocupar em perder talentos". Alarme vermelho! Para a mão de obra qualificada ou seja, aqueles que podem ser a solução para amenizar os efeitos da crise sobre a sua empresa, essa é a grande hora de contratar  e, mais do que isso, a hora de trabalhar a retenção desses talentos.

Esta matéria da PEGN  aponta diversas razões para os empreendedores investirem na retenção de talentos na empresa e traz 6 dicas para reter talentos:

Estabeleça um plano de carreira para que o funcionário possa visualizar as possibilidades internas e, assim, investir no seu crescimento;

Crie um ambiente que possibilite ao colaborador desenvolver projetos com maior autonomia e novas competências;

Envolva os funcionários nos processos de decisão ou engaje-os em projetos em andamento, escutando suas sugestões de forma apreciativa;

Crie ações para melhorar o clima no ambiente de trabalho. Estimule a prática de esportes, promova campeonatos internos ou disponibilize áreas de lazer;

Crie um ambiente mais familiar, com confraternizações e happy hours, ou incentive o colaborador a contribuir com uma planta, fotos ou objetos que tornem o ambiente mais acolhedor; e

Estimule a troca de ideias e crie oportunidades para ouvir as pessoas. Evite eventuais críticas não construtivas.

A seguir vamos explorar mais alguns desses pontos e trazer outras reflexões para você poder traçar estratégias para trabalhar bem a retenção de talentos na sua empresa.

Plano de carreira: alinhe os interesses da empresa com os de seus funcionários

Plano de carreira é um programa que estipula o caminho que cada funcionário vai percorrer dentro de uma organização. Ele determina as competências necessárias para cada posição hierárquica e também qual é a expectativa da empresa em relação à posição. Vale reforçar que investir em promoções podem trazer bons resultados, pelo fato do colaborador já conhecer a cultura e conhecimento da empresa.

O plano de carreira traz vantagens tanto para a empresa, por ser formulado para atrair e reter talentos; quanto para os funcionários, ao assegurar a possibilidade de aprimoramento contínuo.

Empoderamento: delegue autoridade para seu funcionário

empoderamento está fundamentado na ideia de que ao dar a um funcionário as ferramentas necessárias(treinamento para competências técnicas, recursos, autoridade, oportunidade e motivação), você o torna mais responsável pelos resultados obtidos, e isso é muito importante para alcançar bons resultados.

Sabe aquele papo de "Cabeça de dono"? Ele tem tudo a ver com empoderamento. É só pensar na figura do dono: ela pressupõe uma pessoa que pode tomar todas as decisões necessárias. Então, um funcionário com cabeça de dono, deve seguir nessa mesma linha e, para que isso funcione, a empresa deve, antes de mais nada, ter uma cultura que valorize e crie espaço para que o funcionário se porte dessa maneira, ou melhor: uma cultura de empoderamento do funcionário.

 Engajamento: o mais difícil e o mais importante

"As pessoas têm que ter a capacidade de influenciar. Atitude de dono. Como você cria um contexto para que pessoas se sintam assim? A resposta é o orgulho. As pessoas precisam se orgulhar de trabalhar para aquela empresa. Orgulho é melhor do que fidelidade". Esse é primeiro conselho de Jean-Marc Etlin, do Itau BBA, para empreendedores em busca de gerar engajamento de sua equipe com a empresa.

Uma empresa pode se sustentar oferendo remuneração e benefícios básicos, mas é chegada a hora de buscar o intangível: relacionamento, sonhos, envolvimento e emoções. Lidar com gente envolve outras motivações. Em primeiro lugar, os funcionários devem ter a percepção de que a preocupação do líder e da organização com pessoas é genuína. Em segundo, a empresa deve ser um ambiente de confiança. E isso é muito diferente de um ambiente sem conflito. Em terceiro, o funcionário precisa perceber que a empresa tem senso de justiça, sobretudo em relação às políticas de RH. Como a empresa aplica o mérito? Como são suas políticas de bonificação?

No final das contas, engajar é tão importante quanto reter.  Vale a leitura na íntegra desta matéria da Exame.

Bonificação: uma forma de reconhecimento

bonificação é uma política de remuneração variável no meio empresarial. Trata-se de um sistema de recompensa baseado em metas, ou seja, um pagamento monetário extra-salarial feito a colaboradores que cumpriram uma meta estabelecida. Assim, pode ser uma ferramenta que auxilia no contorno das dificuldades em manter colaboradores motivados e engajados.

  Geralmente, o valor da bonificação é definido como uma porcentagem do salário anual. Ele pode ser concedido somente aos níveis mais altos da sua estrutura organizacional, embora seja prática comum no mercado dar a todos os funcionários o mesmo bônus, proporcional às metas individuais batidas. Também é costume entre as empresas pagar o bônus ao final do ano, com os resultados financeiros já fechados.

Mas, atenção para não cair naquela velha história de que bonificar sempre é a solução. "Dar sempre mais dinheiro é uma medida que inflaciona a mão de obra. Além disso, a contraproposta e o bônus mandam uma mensagem negativa para os demais empregados. "O bônus vira uma moeda de barganha perigosa, porque, se você dá para um, os outros vão querer também. É como educar um filho à base de presentes", diz Cris Bonini, diretora de gestão de pessoas, performance e cultura da consultoria KPMG no Brasil.

Bom, agora você já sabe mais sobre como pensar políticas de retenção de talentos. Para escolher sua alternativa, pense sobre qual é a cultura da sua empresa, converse com seu time, entenda como eles se sentem. Somente assim você poderá entender suas motivações e pensar formas de motivá-los a ficar na sua empresa. Boa sorte!

Fonte: site endeavor