Sindicom Facebook Twitter YouTube

Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás

Aprenda a aumentar a performance do seu time com a gestão do Tite

Há alguns anos o nosso futebol se afundou em uma crise jamais vista. A goleada sofrida pela Seleção no jogo contra a Alemanha não só evidenciou problemas táticos e de planejamento, como também deixou explícito o mau trabalho realizado nos últimos anos. Em 2012, José Maria Marin assumiu o comando da CBF após a renúncia de Ricardo Teixeira e tinha nas mãos a difícil missão de gerir a Confederação. 

A imprensa esportiva refletia o que a maioria dos brasileiros expressava: descrença, desilusão e falta de esperança para a Copa de 2018, na Rússia. O cenário era caótico e as perspectivas não eram boas, principalmente em relação ao trabalho de Dunga. Durante o comando do técnico, a seleção apresentou números pouco positivos nas Eliminatórias - em seis jogos, foram duas vitórias, três  empates e uma derrota - e o time ocupava a sexta colocação, correndo o risco de não participar da próxima Copa.

Os números obtidos por Tite desde que assumiu a seleção, em 1 de setembro de 2016, são impressionantes. Nove vitórias em nove jogos, 24 gols marcados nas Eliminatórias e apenas 2 sofridos. Neymar diz que o técnico é genial, Marcelo diz que é o melhor treinador com quem ele já trabalhou, a imprensa europeia quer saber quem é Tite. O trabalho impecável e a excelência em gestão de Tite não é uma novidade e, na verdade, ele já se destacou antes pelos times em que passou.

Em 2012, Tite consagrou-se campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes com o Corinthians apenas 5 anos após o rebaixamento para a série B. Tite é mesmo um técnico diferente, que enxerga talentos e prioriza a gestão de pessoas. A forma de trabalhar de Tite, estratégica e bem planejada, dá bons frutos e pode ser utilizada por você, na sua empresa. Pensando nisso, compilamos algumas lições que podemos aprender com a gestão do Tite na Seleção Brasileira. Acompanhe!

Saiba segurar as pontas

É imprescindível que um gestor saiba lidar com crises. Tite sabe controlar crises através de engajamento, motivação e proximidade com os seus comandados. Em um momento de declínio do Corinthians após eliminação precoce da Libertadores e do fracasso nas semifinais do Campeonato Paulista em 2013, Tite encontrou um ambiente pouco favorável, com jogadores desmotivados e insatisfeitos.

Para conseguir bons resultados e manter a equipe jogando bem apesar das adversidades,Tite motivou os jogadores dando a eles o que faltava: motivos que iam além dos números. Ele mostrou que atuar em um clube como o Corinthians deveria ser uma honra e que a melhor forma de superar a fase ruim era ganhando os jogos. Tite se preocupou em unir o time em torno de um único e claro objetivo: vencer.

Esteja sempre presente

Não só em um time de futebol, mas sim em qualquer outra equipe liderada por alguém, a imagem de um líder presente e dedicado é, com toda certeza, imprescindível. Na realidade, é exatamente por isso que Tite se tornou uma personificação tão popular de um treinador presente no cenário do futebol.

Se perguntarmos sobre o treinador para qualquer jogador que o conhece ou que já foi treinado por ele, é bastante provável que a resposta inclua certas características ou comportamentos de Tite que evidenciam uma liderança presente. O treinador tem o costume de ligar para os jogadores quando pode para conversar sobre os treinamentos, viajar aos finais de semana para assistir de perto os jogos e criar um ambiente de cumplicidade entre ele e o time.

Ser um líder presente não significa, necessariamente, estar literalmente ao lado dos colaboradores a todo momento. No entanto, significa fazer esforços para mostrar interesse, curiosidade e disposição. Esse tipo de atitude influencia diretamente na motivação dos colaboradores e, além de tudo, cria uma relação mais agradável entre o líder e todo o time.

Se mantenha atualizado

Independente do time que você lidera ou do nível de excelência que alcançou, existe sempre um ponto para aperfeiçoar, uma habilidade para desenvolver e um conceito para aprender. Tite foi à Europa, fez cursos e conheceu outros estilos de jogo, de gestão e de planejamento. Ainda que não pudesse aplicar alguns modelos e técnicas ao futebol brasileiro, com certeza a experiência o deu uma nova visão de como gerir equipes.  

Para qualquer gestor a qualificação e o aprimoramento trazem resultados positivos. Quando falamos de times com pessoas de diferentes perfis comportamentais e experiências diversas, se aperfeiçoar é ainda mais proveitoso para alcançar máxima eficácia na gestão.

Não deixe o sucesso subir à cabeça

Como já se sabe, o sucesso de Tite como treinador nos times em que trabalhou não é uma novidade. Foram muitos momentos de triunfo e satisfação mas, em certos períodos, as turbulências foram inevitáveis.

Na realidade é aí que está todo o diferencial deste treinador. A habilidade de superar os momentos difíceis através de uma gestão eficaz e ainda se manter firme durante os  períodos de maior sucesso é o que fez da gestão de Tite um fenômeno exclusivo no mundo do futebol.

Mesmo com a mídia em cima e toda a fama que está sendo proporcionada através da reviravolta do time brasileiro de futebol, o treinador mantém a postura, procura evoluir e além disso, também busca desenvolver o time cada vez mais, sem se acomodar.

Em uma gestão que visa o crescimento, tanto interno quanto externo, é sempre importante ter esse fator em mente. A tendência à acomodação trazida pelo sucesso alcançado é como uma armadilha para os empreendedores. É óbvio que o ritmo de atuação dos gestores é maior em alguns períodos da vida de uma empresa, porém, se acomodar com o início do sucesso pode ser um suicídio para uma empresa.

Respeite, entenda e desenvolva as individualidades

Durante uma das decisões tomadas por Tite para a nova formulação do time do Brasil para o jogo contra o Peru, os adoradores do futebol tiveram mais uma surpresa. O novo treinador estava colocando o Fernandinho - jogador famoso por ser o possível pivô do desastre do 7×1 - como capitão do time no jogo das Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018.

De acordo com os próprios integrantes do time brasileiro, o treinador tem como característica forte a empatia e, por isso, ele consegue encontrar as individualidades de cada um e usá-las de forma positiva para o time. Essa característica certamente foi aplicada no caso de Fernandinho.

Lidar com pessoas está entre uma das principais funções exercidas por qualquer gestor. Como já sabemos que os seres humanos em geral são seres individuais e exclusivos, fica fácil imaginar a importância da identificação dessas individualidades. Por isso, aprender a trabalhar esses aspectos de acordo com os objetivos da gestão de um negócio é uma decisão muito inteligente a se tomar. A possibilidade de se surpreender com a sua equipe no final, é muito grande.

Fonte: www.solides.com.br

Comentário