Sindicom Facebook Twitter YouTube

Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás

Sete palavras para você tirar do seu currículo já

Com a competição acirrada na busca por um bom emprego, o uso de uma palavra errada pode deixar o seu currículo fora da seleção dos recrutadores. Adjetivos exagerados, expressões óbvias e falta de cuidado na descrição de experiências são alguns dos erros a serem evitados, segundo Léo Capelossi, gerente da empresa de recrutamento Page Personnel, e Luciana Caletti, CEO e cofundadora do site Love Mondays, de avaliação de empresas.

A seguir, veja sete palavras que não devem estar no seu currículo, de acordo com os especialistas consultados:

1 - Criativo

Em vez de escrever simplesmente que é criativo, a dica dos especialistas é falar sobre projetos dos quais já participou ou anexar um link do seu portfólio. "É muito melhor quando o candidato descreve suas últimas experiências com resultados e fatos concretos", diz Caletti.


2 - Hobby

Gosta de surfar, costurar, jogar basquete? Os hobbies nem sempre refletem características relevantes para a vaga que você procura, além de ocupar um espaço precioso que poderia ser usado para mostrar suas habilidades vinculadas ao trabalho.


3 - Objetivo

Se o currículo for enviado junto com um e-mail de apresentação que explica seus objetivos, não é preciso repeti-los. Além disso, citar um objetivo muito restrito no currículo pode limitar as suas chances de arrumar um emprego. O importante é ter experiências consistentes, dizem os especialistas.


4 - Desempregado

Usar a palavra "desempregado" ou dizer que está "em busca de trabalho há muito tempo" pode mostrar fragilidade no momento da apresentação. "O poder de fogo de quem está fora do mercado acaba sendo menor do que o daquele que está trabalhando", afirma Capelossi. As datas das experiências profissionais já são suficientes para informar o recrutador sobre seu estado atual.


5 - Pontual

Escrever que é pontual não acrescenta nada para o recrutador, na opinião do gerente da Page Personnel. "A gente parte do princípio que, se um determinado horário é acordado, você deve cumpri-lo", explica. O mesmo vale para as palavras "ético" e "responsável", características que o recrutador já espera que você tenha. Além disso, adjetivos em excesso no currículo podem passar uma má impressão.


6 - Especialista

Colocar que você é especialista em algo pode atrapalhar a visibilidade de seu currículo se a ideia é abrir o leque de possibilidades. Porém, é sempre importante que o currículo seja compatível com a busca. Se o objetivo é encontrar emprego somente na área em que você é especialista, esta dica não vale para você.


7 - Feedback

Jargões como "feedback", "proativo" ou "networking" e expressões desgastadas como "focado em resultados" devem ser evitados, segundo os especialistas. "As pessoas acabam colocando por senso comum, mas na verdade só mostram que o candidato usou clichês do mercado", afirma o gerente.


Outras dicas: nada de Ctrl C/Crtl V nem erros de português

Palavras copiadas de outros textos ou muito repetidas na hora de descrever as experiências profissionais, por exemplo, podem destruir as chances de emprego. "Isso mostra que a pessoa não teve cuidado, não pensou nas competências que ela adquiriu. Cada empresa tem seu histórico, é importante personalizar", afirma Capelossi.

Erros de português não devem estar no seu currículo se você quiser ser um profissional requisitado. Além da correção, é preciso pensar na clareza das palavras, recomenda Caletti. "Os candidatos precisam rever suas experiências e repensar como descrever da forma mais clara possível suas competências e habilidades."

Fonte: economia.uol.com.br

Comentário