Sindicom Facebook Twitter YouTube

Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás

Anúcio sobre rádio digital no Brasil

Arte

CÂMARA FEDERAL INDICA DEPUTADO PARA CONSELHO DE RÁDIO DIGITAL

A comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos deputados encaminhou para o Ministério das Comunicações a indicação do Deputado Sandro Alex para o Conselho do Rádio Digital, conselho este que definirá o padrão de Rádio Digital no Brasil.

A Frentecom, que reúne várias entidades da sociedade civil defendia o nome da deputada Luiza Erundina de São Paulo para compor a comissão. Infelizmente a proposta de indicação da FRENTECOM não foi considerada pela Comissão de Ciência, Tecnologia Inovação e Comunicação da Câmara dos deputados.

Com esta indicação, fica evidente a maioria do Conselho na definição do Padrão IBOC Digital, o padrão preferido pelos radiodifusores.

A sociedade civil está representada pela ABRAÇO, AMARC e ARPUB, que terá a difícil tarefa de debater um modelo de rádio digital que seja aberto, democrático e sensível aos anseios da maioria da população Brasileira.

As abraços São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Arcos RJ, defendem a criação imediata de uma grande frente POR UM RÁDIO DIGITAL DEMOCRÁTICO, além da realização de Audiências Públicas nos estados para se garantir que a sociedade civil organizada seja ouvida antes da definição do padrão de digitalização.

As entidades estaduais encaminharão documento ao Ministério das Comunicações sobre a proposta ainda esta semana, bem como a incorporação de mais entidades civis no Conselho, garantindo a equidade da representação da sociedade civil, além da reuniões deste Conselho serem públicas e abertas para a sociedade.

O Movimento nacional de Rádios Comunitárias formados pelas abraços do Sul, São paulo e ARCO RJ apela para as  representações das entidades que compõem a sociedade civil a criação de instãncias de participação popular nas decisões, pois entende que esta definição afetará seriamente a proposta de democratização do rádio no Brasil.

 As entidades estaduais de Radiodifusão Comunitária também organizarão atos públicos e ações para se evitar que o padrão IBOC seja o preferido pelos radiodifusores na escolha do padrão de rádio digital para o Brasil.