Sindicom Facebook Twitter YouTube

Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás

Entidades Sindicais de Rádio e TV e Radialistas da Agência Brasil Central discutem Comunicação Pública em Goiás

Na última quinta-feira, 09, o grupo de trabalho em comunicação pública da Agência Brasil Central, responsável também pela produção independente do fanzine Marco Zero, promoveu em conjunto com as Entidades Sindicais (SINDICOM, SINDIJOR e SINDIPÚBLICO) um diálogo em torno do convidado Rafael Cruz, pesquisador do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura e Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e ex-funcionário da Fundação Padre Anchieta.

IMG_3786

O encontro foi realizado na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás (Sindicom), reuniram-se ainda, integrantes e/ou representantes da Agência Brasil Central (ABC), Associação dos Cantores e Compositores de Goiás (ASCCOM), Federação Nacional dos Músicos Profissionais (FENAMUSI), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás, Sindicato dos Músicos Profissionais do Estado Goiás, Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público em Goiás (Sindipúblico) e Universidade Federal de Goiás (UFG).

Ao apresentar dados sobre a história e formação do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, Rafael Cruz pôde relacionar tais informações ao documento "Considerações para a Implantação de uma Comunicação Pública na Agência Brasil Central" (elaborado pelo GT e protocolado na governadoria de Goiás, em janeiro deste ano) e indicar o modelo de fundação pública de direito público como ideal. Outra referência foi a plataforma estatal de TV digital na Argentina, que envolve diferentes canais dedicados, por exemplo, à educação, cinema, tecnologia, esportes, música erudita, turismo e infância, cujo objetivo é, segundo Cruz, "oferecer em um único recurso, público e gratuito, canais dos mais variados temas, todos sob a órbita estatal, observando os princípios da comunicação democrática". A plataforma também dispõe de dez frequências para canais comerciais, universitários e comunitários da Grande Buenos Aires.

Temas como programação musical da Rádio Brasil Central AM/OC/OT e RBC FM, linha editorial da TV Brasil Central e utilização do parque gráfico para além da produção única do Diário Oficial foram tratados e renovaram a motivação não só para a luta dos trabalhadores, como também dos apoiadores do movimento.

O presidente do SINDICOM e Secretario de Relações Internacionais da FITERT, Miguel Novaes falou da necessidade de união dos servidores da Agência para o objetivo proposto (estatutários e celetistas), pois há uma grande lacuna entre os servidores. Falou ainda que o governo atual sucateou as empresas, e que os trabalhadores estão trabalhando com equipamentos ultrapassados. Enfatizou ainda que precisamos trabalhar arduamente para mudar esse cenário. Novaes ainda questionou Rafael Cruz sobre a  situação atual da TV Cultura de São Paulo, pois somos sabedores que o governo do PSDB a mais de 20 anos no poder em São Paulo acabou com vários programas e que a TV está em situação de abandono.

Diante da necessidade de ampliar o envolvimento da sociedade, novos diálogos serão realizados nos locais de atuação dos parceiros. O próximo já acontecerá na sede do Sindicato dos Jornalistas, com data a definir.

O GT em Comunicação Pública da ABC realiza estudos e atividades desde junho de 2014 e atualmente dispõe informação e reflexão no fanzine Marco Zero e na página facebook.com/marcozeroabc.