Sindicom Facebook Twitter YouTube

Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás

Radialista assinado em Minas Gerais

Após receber várias ameaças, Radialista é assassinado com cinco tiros em Ipatinga (MG) e Sintert-MG exige esclarecimento da Morte.

O repórter policial, radialista e bacharel em Direito, Rodrigo Neto, foi assassinado em Ipatinga (MG),no ultimo dia 08 de março. Devido à sua atividade profissional, ele trabalhava constantemente ameaçado. As intimidações eram motivadas pelo programa de radio que a anos era levada ao ar na Vanguarda AM, a rádio de maior audiência na região. O radialista foi morto em um bar, local que ele costumava frequentar. Enquanto Rodrigo Neto abria a porta de seu automóvel, dois homens se aproximaram em uma motocicleta, usando luvas e capacetes, dispararam e fugiram. Rodrigo Neto de Faria de 38 anos, foi atingido por cinco tiros. Ele chegou a ser socorrido com vida e foi levado para o Hospital Municipal de Ipatinga, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

O radialista era casado e deixa esposa e um filho.

Rodrigo Faria recebia ameaças há muito tempo e já as teria relatado ao representante do Ministério Publico.

Para nós da direção do Sintert- MG fica a sensação de insegurança. Foi morto um cidadão, profissional do radio que transmitia informação com credibilidade, ética e compromisso. Não deram um tiro só no radialista, deram um tiro na liberdade de expressão.

O Sindicato dos Radialistas de Minas Gerais, a sociedade de Ipatinga e o Brasil, exige que seu assassinato seja investigado e esclarecido com rapidez, empenho e dedicação.

É por esse e outros crimes contra radialistas é que somos favoráveis a federalização de crimes contra radialistas e jornalistas.